segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Resvés, Campo de Ourique

Hoje falei aos meus alunos do terramoto de 1755.

Gosto de ir para além do que está no manual e conto-lhes as "histórias" da nossa História. A curiosidade aumenta e as perguntas surgem...

Também houve um tsunami? Morreram muitas pessoas?

E eu aguço-lhes o interesse.


Durante o terramoto o estrondo foi medonho e a população lisboeta corria, sem rumo, desvairada, apavorada, gritando: "cai o Carmo e a Trindade".
Queriam dizer que os conventos do Carmo e da Trindade desabaram.

E ainda há mais expressões populares...

É o caso da expressão: “Resvés, Campo de Ourique”.

Ao que parece, esta expressão surgiu pelo facto do mar, após o sismo, terá invadido Lisboa e chegado às imediações do Campo de Ourique.

E a aula continua...


“Fazer tijolo” terá resultado do facto de ter sido usada, para a reconstrução de Lisboa, argila proveniente de antigos cemitérios árabes, sendo por vezes encontradas ossadas.

Estas expressões fazem parte da nossa cultura e, de forma natural, usamo-las, sem reflectir na sua origem.

1 comentário:

  1. Uma boa oportunidade para lembrar que tudo tem a sua razão de ser.


    L.B.

    ResponderEliminar